Blog

Champagne, Vinho espumante? Qual a diferença

Todo Champagne é um vinho espumante, mas nem todo vinho espumante é um Champagne

Letícia Garcia – Sommelier wine4u

Conseguiu entender essa afirmação? Então calma que eu vou explicar.

No Brasil, comumente, o espumante nosso de cada dia é chamado de Champagne, mas desde 1936, o único que pode ter essa denominação é o vinho espumante feito na região de Champagne pelo método champenoise (segunda fermentação acontece dentro da garrafa, no Brasil esse mesmo processo é chamado de método tradicional) e com três uvas obrigatórias: Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay, outras variedades de casta também podem ser adicionadas nesse blend.

Esse termo é uma denominação de origem controlada (AOC) em francês: Appellation d’Origine Contrôlée, ou seja, fora dessa região o nome é outro gente, não adianta chorar…

O espumante, como é chamado aqui no Brasil, pode ser feito por dois métodos: o tradicional/clássico (descrito acima) ou o charmat (nesse caso a segunda fermentação acontece na autoclave, equipamento feito de inox, também conhecidos por tanques de inox).

Mas independentemente da versão escolhida, o que importa é apreciá-lo com moderação. Ter um espumante em casa é bom presságio para sempre aja motivos para comemorarmos.

Eu sei que vocês já sabem, mas não custa reforçar: ao estourar sua garrafa, faça o menor barulho possível para que o gás carbônico não seja desperdiçado, nem o sabor e/ou aroma perdido. Combinado?!

Para dúvidas e/ou sugestões, segue o meu contato


Feliz Ano Novo! 🍾🍷

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.