Blog Condomínios

5 dicas de como fazer economia no condomínio 

mulher com cofrinho na mão

Condomínios Residenciais geralmente são grandes complexos que possuem infraestrutura própria, que demanda muitos cuidados, serviços e, consequentemente, despesas. Com isso, o que os síndicos mais buscam no seu dia a dia é encontrar maneiras de como fazer economia no condomínio, um benefício que contempla a todos: moradores que gastam menos e o próprio gestor, que consegue realizar melhorias no local. 

Mas sabemos que essa não é uma tarefa fácil, tendo em vista que são dezenas, centenas e, em alguns casos, milhares de pessoas que moram no mesmo lugar e as despesas são diversas: colaboradores, prestadores de serviço, reparos na infraestrutura, energia elétrica, água e gás, que faz com que a conta no final do mês não seja muito barata. Por esta razão, separamos alguns pontos que o ajudarão a praticar economia no condomínio. Vamos ver quais são?

Planejamento 

Planejar é o princípio de qualquer tipo de economia, e onde há muitas pessoas, esse é um passo que se torna mais importante ainda. Então, antes de fazer qualquer coisa dentro do condomínio, planeje. Seja a troca de mão-de-obra, a mudança das empresas prestadoras de serviços, dos fornecedores e, principalmente, as reformas e manutenções. 

Uma dica é utilizar o modelo de Gestão do Sistema de Manutenção de Edificações, disponível pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que pode o ajudar a elaborar um plano anual das atividades de manutenção, tendo em vista que a preventiva também é essencial para evitar gastos maiores no futuro. 

Conscientização 

Uma atitude que ajuda a garantir mais economia ao condomínio é conscientizar os moradores de tal importância. Por isso, utilize todos os meios de comunicação que estiverem ao seu alcance para explicar a eles a necessidade da diminuição de gastos, principalmente do gasto com a água, que, segundo pesquisas, é o segundo maior gasto de um condomínio, ficando atrás apenas com os custos de mão-de-obra. 

Você também pode aproveitar os espaços para dar dicas de boas práticas, por exemplo: a diminuição do tempo de banho; o uso correto da piscina, das torneiras, dos elevadores e de outros espaços comuns. 

Mão-de-obra 

As despesas com mão-de-obra são as que mais custam para o condomínio. Por esta razão, os colaboradores e prestadores de serviço precisam receber atenção dobrada, tanto quanto aos trabalhos prestados, quanto às horas trabalhadas. 

  • Será que o condomínio necessita de todos esses colaboradores? 
  • O que podemos fazer para otimizar o tempo deles e evitar que eles façam horas extras? 
  • Como podemos motivá-los a desempenhar suas funções com maior afinco? 

Essas são perguntas que se bem respondidas podem levar o condomínio a uma ótima economia. 

Processos

Você já parou para pensar o que pode ser feito para melhorar os processos do residencial? Se ainda não, sugiro que faça isso, pois algumas medidas simples podem significar muita economia no final do mês. Vamos ver alguns exemplos?

  1. Reutilizar a água: além de ser uma atitude sustentável, o reuso da água da chuva pode significar uma queda imensa no valor da conta de água do condomínio. É claro que instalar um sistema como esse não é tão fácil, mas se bem projetado pode funcionar perfeitamente e garantir economia ao longo de muitos anos. 
  2. Proteger a piscina em horários específicos: um dos gastos de uma propriedade multifamiliar é a manutenção de limpeza da piscina. Mas e se essa piscina fosse coberta em horários que não esteja em uso? Isso evitaria a queda de sujeiras e folhas dentro da água, o que a manteria limpa por mais tempo. 
  3. Sistema de energia automático: é corriqueiro ver as luzes das áreas comuns do condomínio sempre acesas, mesmo no período diurno. Então, instalar um sistema automático de energia, que acende apenas com a presença de alguém, pode ser uma saída para economizar com isso no final do mês. 

Fiscalização 

Por fim, fiscalizar! Depois de seguir todas as outras dicas citadas acima, essa é uma atitude que não pode faltar na sua gestão. É importante que o síndico esteja sempre por perto, fiscalizando os serviços que são executados dentro do condomínio; a maneira que os produtos estão sendo utilizados; o desempenho dos colaboradores nas suas funções e, até mesmo, se as regras que visam a economia estão sendo seguidas por todos os condôminos. 

Pronto, depois de ler este artigo, você já sabe como fazer economia no condomínio. Agora, compartilhe essas dicas com os colegas síndicos e, juntos, façam uma gestão de sucesso! 

Quer saber como levai mais comodidade aos condôminos?

Leve um minimercado para o seu condomínio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *